// VINHETA FINAL DE ANO 2017 | FELIZ NATAL E ANO NOVO!

// PLAYLIST DO MÊS | DEZEMBRO // FERNANDO WISSE

JAY VAQUER FAZ SHOW INESQUECÍVEL EM FORTALEZA - CE



Era sábado. Era dia cinco. E era o primeiro show do Jay Vaquer da minha vida. Muito mais que um artista cujo admiro, Jay é quase que uma parte inerente a mim. Uma parte que desde 2008, quando o conheci graças a um clipe na Tv União (de Fortaleza), já passou por muitos e muitos momentos. Sobre como o conheci ou sobre aspectos ligados ao Jay, depois falo mais futuramente. Aqui quero apenas deixar meu registro sobre o show.

Banda Mafalda Morfina faz abertura

Primeiro, há de se destacar que os amigos foram fundamentais em fazer desse sábado épico. Chegamos cerca de 23 horas ao local da apresentação e ainda havia uma banda para se apresentar antes do cantor carioca. Infelizmente, no local só se vendia bebidas (refrigerante e alcoólicas) enquanto que eu morria de fome. E não, não podíamos sair lá de dentro. Mas bem, esperamos pacientemente e eis que os primeiros acordes tocaram para anunciar que (PORRA!) Jay Vaquer estava entrando no palco. Lembro que essa certamente será uma das sensações que nunca esquecerei na vida.


Logo nas primeiras músicas dava-se pra perceber o nível de animação do público, que não parava de cantar junto por nenhum momento. E Jay, artista gigantesco, entoava suas poéticas canções enquanto performava: pulava, gritava e fazia suas caretas já típicas no palco.


Um aspecto importante sobre o cantor é seu nível de técnica. Jay é daqueles que sabe o que faz, entende de música e gosta de explorar esse conhecimento. A cada canção interpretada essa certeza cresce. Com uma voz poderosíssima, que se estende por algumas oitavas, bem como a de todo mundo (logicamente), a forma como cada nota em seu máximo potencial é explorada dentro dessa vasta possibilidade de oitavas é o que faz do carioca minha grande inspiração e o diferencia de grande parte dos "artistas" que encontramos hoje no "mercado". É notável como cada falsete atingido com maestria, bem como as notas mais graves, nem sempre alcançadas pela dificuldade do cansaço e da performance no palco, são explorados. Coisa de gênio. Coisa de quem sabe o que faz mesmo.

Com uma banda igualmente competente, Vaquer brilha ao longo de pouco mais de uma hora com sucessos que vão desde o primeiro CD até o último, "Umbigobunker!?", lançado em 2011. Foi impossível não pular e cantar junto em músicas como "A falta que a falta faz", "Meu melhor inimigo", "Você não me conhece (nem f*dendo)", "Longe Aqui", entre tantas e tantas outras.


Uma das grandes estrelas da noite foi também o público, que entoou várias e várias canções fora do setlist. Em certo momento do show até Jay entrou na brincadeira, ao lhe pedirem um pout-pourri de 10 músicas. Adivinha só? Ele assim o fez, à capela, obviamente. Você pode ver no vídeo abaixo um desses momentos emocionantes:



Em linhas gerais, o show foi simplesmente arrebatador: emocionante, agitado, incrível. Pequeno e ainda menor perto do talento que sobre ele se apresentava, o palco mais parecia um degrau, mas muito serviu para aproximar os fãs do ídolo. Jay Vaquer sabe administrar qualquer espaço como ninguém. E sabe brilhar, sabe cantar, sabe compor, sabe o significado de uma palavra que há muito parece ter se perdido entre a mídia que cada vez mais cria "produtos" ao invés de "artistas": TALENTO. E mais. Naturalidade. Expressão. Genuinidade.

Você pode ver mais fotos agora (lembrando que para ampliá-las basta um clique sobre alguma):

Muitos são os momentos em que se misturam no palco artista, performer, pessoa numa quase genialidade nata do carioca. E ele prometeu: vai voltar logo, logo a Fortaleza.










Depois da apresentação ainda tivemos o privilégio de ter uma conversa pessoal com Jay. O momento mais emocionante da noite, certamente, apesar da rapidez.

Sophia, o Jay, Luise e eu (horroroso).


Dois vídeos bem ruins, mas que valem a pena para se ter noção de como foi:

"Meu melhor inimigo"


"A Falta que a falta faz"

Comentários