// VINHETA FINAL DE ANO 2017 | FELIZ NATAL E ANO NOVO!

// PLAYLIST DO MÊS | DEZEMBRO // FERNANDO WISSE

NICHOLLE KRYSSIA | Breve resumo de "A Moreninha"



 
"Dar início a este trabalho é a realização de um sonho, sabe? Sempre amei ler e escrever, embora sempre tenha tido um grande receio em mostrar para outros o que escrevo. 

Bem, agora é chegada a hora de externar um pouco o que venho guardando para mim há algum tempo. Falarei sobre a grande e antiga paixão minha: os livros, a leitura e o quão importante ela é.

Estarei dividindo este espaço com meu grande amigo por quem tenho um imenso carinho, Paulo Rossi, e espero que gostem da minha participação, será feita de todo o coração."

___________________________________


"A Moreninha"



"Começarei por um clássico, um livro que li há muito, mas que me marcou bastante. Em nossas vidas tem coisas que são assim: passe o tempo que passar continuaremos com elas vivas em nossas memórias.

'A moreninha', um livro pequeno de leitura fácil, é um clássico. Diria que é um livro leve e acima de tudo apaixonante. Já escutei de algumas pessoas que foge da realidade e bem, é verdade: ele é meio que surreal, mas esse lado irreal é o que o torna mais apaixonante e, vamos combinar, precisamos fugir da realidade vez em quando. Para mim muitos livros são exatamente isso: uma forma de viajar, fugir da realidade sem sair do espaço físico em que nos encontramos, e foi isso que encontrei não somente no livro 'A moreninha', mas em muitos outros.

Bom, vamos parar de enrolar e falar sobre o livro e o que acontece nele. 'A moreninha' é de Joaquim Manuel de Macedo, escritor brasileiro. Este clássico conta a historia de quatro rapazes que decidem passar um feriado em uma ilha que pertence ao avó de um deles. A intenção é passar uma data de “curtição” (por assim dizer), e lá tomam a decisão de fazer um jogo. Augusto é um rapaz com uma elevada propensão a ser apaixonar, então seu amigo Filipe decide fazer uma aposta com ele, a seguinte: caso Augusto se apaixone deveria escrever um romance contando sobre sua paixão, caso ele não se apaixonasse Filipe quem iria escrever um romance como forma de pagamento por ter perdido. Ambos se empenham em não perder essa aposta (mas a vida sempre nos surpreende, não é? Principalmente quando se trata de paixões....).

Ao chegarem na ilha os rapazes conhecem belas moças, entre elas está D. Carolina, uma bela jovem irmã de Filipe, levada e extrovertida. Um tanto a frente para sua época, ela e Augusto se aproximam e começam a dialogar (aí já viu, né?).

Em uma de suas conversas ele confidencia a Carolina o motivo de nunca ter se entregado verdadeiramente a uma paixão, pois quando criança conheceu uma menina que mexeu com seus sentimentos e juntos os dois fizeram a promessa de se reencontrarem e viverem um grande amor, embora não soubesse sequer o seu nome. O que ele não imaginava é que essa menina era a D. Carolina, de quem estava se aproximando e se encantando, mas a moça não alimentava nenhuma de suas cantadas.

O fim de semana termina e os jovens retornam para os estudos, porém Augusto se vê com saudades de Carolina e retorna à Ilha para encontra-la. O pai dele, achando que isso estava atrapalhando seus estudos, proíbe o filho de visitar a garota

__________ FINAL DO LIVRO. SE NÃO DESEJAR LER, PARE AQUI.__________ 

Depois de um tempo distantes, Augusto finalmente volta à Ilha para se declarar a Carolina. É nesse momento que ela mostra um camafeu que lhe foi entregue por um rapaz quando criança, e este mesmo havia lhe prometido que um dia se reencontrariam. Augusto reconhece o camafeu que teria dado a sua jovem amada e relembra D. Carolina. Agora ele poderia viver uma verdadeira paixão, pois havia reencontrado a sua amada."

Comentários