// VINHETA FINAL DE ANO 2017 | FELIZ NATAL E ANO NOVO!

// PLAYLIST DO MÊS | DEZEMBRO // FERNANDO WISSE

SÉRIES | "How To Get Away With Murder" é FODA!

 
Sabe quando você vê algum filme de suspense e fica perturbado, meio que desorientado depois, olhando para os lados e se sentindo 'vigiado', numa quase esquizofrenia? Pois bem, "How To Get Away With Murder" tem e MUITO desse fator que te faz ficar assim.

Essa semana, depois de acompanhar alguns amigos falando sobre a volta da série, que aconteceu no último dia 24, fiquei curioso e decidi assistir ao primeiro episódio da primeira temporada. Pronto, bastaram os primeiros 43 minutos para que eu ficasse apaixonado pela trama, que é uma brilhante mistura de suspense, drama, ação.

Estabelecem-se na série dois "tempos" paralelos desde o começo: o presente, quando os quatro protagonistas se envolvem num misterioso assassinato; e o passado, que começa cerca de 2 meses antes dessa tragédia, até que tudo se explica no episódio 9 e a partir daí é desenrolado o pós-homicídio. O mais interessante é observar a forma como a 'estética' foi utilizada pela série para diferenciar os dois momentos: enquanto o passado vai acontecendo normalmente, colorido, flashes do presente e de como o assassinato ocorre vão surgindo pela tela num filtro esverdeado, escuro, que claramente se distingue. Aliás, esse tom obscuro permanece por todo o episódio 9, quando somos apresentados ao que realmente acontece na fatídica noite em que um dos personagens é morto (sabemos de quem se trata desde o primeiro episódio).

Se você é um fã órfão de Revenge, esta série é sob medida: inúmeras reviravoltas surgem durante os episódios, quase que nos fazendo perder o ar em certas ocasiões. Não é só isso: a ideia de começar a história no futuro, para que depois voltemos ao presente e a partir daí a trama se desenrole até chegar lá e depois desencadeie consequências, que muito brilhantemente foi feito pela série que narra a história de Emily Thorne (sdddddssss) durante três temporadas, aqui também se faz presente, como mencionado no parágrafo anterior. Todo o tom dado à "How To Get Away With Murder", a emissora que transmite, enfim: vários são os aspectos que relacionam-se entre as duas produções.

Os atores, nem sempre tão bons, mas que seguem por toda a temporada "confortáveis" dentro de seus papéis, somem diante da grandiosa Viola Davis, numa atuação ÉPICA, magistral, de perfeita entrega da atriz (não é à toa que ela já levou alguns prêmios pelo papel, incluindo 'Emmy'). As nuances que Viola construiu para a sua 'Annalise Keating' são impactantes e por vezes chegam a chocar o público pela enorme diferença psicológica entre a advogada com peruca e maquiagem, que desfila poderosa, acima de qualquer pessoa, e a insegura, chorona e perdida 'Annie' sem peruca e cílios postiços. Em uma das cenas mais extraordinárias que já devem ter ido ao ar, a personagem se despe minutos antes de dormir, dentro do quarto. À medida em que seu rosto vai perdendo as 'modificações' feitas por "Keating" para 'enfrentar' o mundo lá fora, a expressão e feição de Viola mudam junto. É incrível. É arrebatador.

A segunda temporada, que já conta com dois episódios idos ao ar, segue a partir de onde a história parou após o final da primeira, ao mesmo tempo em que inicia um novo assassinato dois meses depois de onde a trama recomeça (deu pra entender?), num indicativo de que a fórmula será repetida durante essa nova temporada.

Por fim, uma das melhores surpresas de 2014 está de volta à TV americana e certamente nos proporcionará ótimas surpresas novamente. Se você ainda não conhece "How To Get Away With Murder", essa é a hora para correr e acompanhar a série!

MELHORES EPISÓDIOS DA PRIMEIRA TEMPORADA

9 - Olha, esse me deixou tão perturbado e perplexo com as revelações e reviravoltas que acontecem que não consegui dormir até assistir aos posteriores (resultado: fui para a cama as 8 da manhã depois de passar a madrugada em frente ao computador).

12 - Depois do 9, a história demora um pouco a engrenar de novo, mas consegue chegar novamente ao nível de excelência durante o 12.

13 - SPOILER A visita da mãe de Annalise é o ponto alto desse episódio e é a garantia de fortes emoções, num encontro que rende cenas espetaculares.

14 e 15 - Esses episódios foram exibidos juntos e elevam a trama ao final incrível da temporada, numa mistura de suspense, mais revelações e mais reviravoltas. Chega um determinado momento em que você não acredita mais em ninguém, desconfia de todo mundo.

Comentários