// VINHETA FINAL DE ANO 2017 | FELIZ NATAL E ANO NOVO!

// PLAYLIST DO MÊS | DEZEMBRO // FERNANDO WISSE

BRENO ALLEN | ESPECIAL | Liga da Justiça | Guia de leitura para o filme

    A maior e mais célebre equipe da nona arte está prestes a fazer sua estréia nos cinemas com a direção de Zack Snyder. São quase 60 anos de histórias icônicas do grupo liderado por Batman, Superman e Mulher-Maravilha, que vão desde derrotar uma estrela-do-mar alienígena até as clássicas crises no Multiverso. Confira a seguir um guia básico de leitura para o próximo filme do universo cinematográfico da DC Comics:

As histórias podem ser encontradas em sites online, como o Darkseid Club e o HQ BR.

LIGA DA JUSTIÇA


1°. Liga da Justiça: O Prego
A obra dos quadrinistas Alan Davis e Mark Farmer é um dos clássicos da editora. Muito sombria e com uma história se passando num universo alternativo (Elseword), O Prego traz a formação da Liga onde não há o Superman, numa situação parecida com a do filme. É bem possível que a produção de Liga da Justiça tenha usado Liga da Justiça: O Prego como um dos argumentos para o roteiro, a diferença é que a versão do cinema deixará o tom sombrio e pesado da HQ para trás.


2°. Novos Deuses #7
Nessa edição histórica, Jack Kirby - o rei dos quadrinhos - estabeleceu a origem de vários elementos do Quarto Mundo, o lugar onde habitam os Novos Deuses dos planetas Nova Gênese e Apokolips. O autor explicou como se deu o pacto entre os dois planetas e o que é a Fonte no Universo DC. Nessa edição também há a primeira aparição do Steppenwolf, o tio e general do Darkseid, e também o vilão que a Liga da Justiça enfrentará no seu primeiro filme.


3°. Reino do Amanhã
Reino do Amanhã é o tipo de história que com certeza está no top 10 de qualquer fã de quadrinhos. O clássico atemporal do roteirista Mark Waid e do desenhista Alex Ross talvez seja o melhor produto lançado pela DC Comics nos anos 90. Unindo uma história densa, pesada, cheia de questionamentos e reviravoltas com uma arte épica, esse clássico é essencial para qualquer fã e uma ótima porta de entrada para pessoas que querem conhecer o Universo DC. 


4°. Liga da Justiça: A Nova Ordem Mundial
O lendário escritor Grant Morrison reúne nessa hq os sete membros originais da Liga da Justiça, quando um grupo alienígena conhecido como Hiperclã chega à Terra, aparentemente com boas intenções, porém, os verdadeiros planos dos visitantes são descobertos pelo Batman, cabendo a ele e a Liga impedirem que eles se concretizem.


5°. Odisséia Cósmica
Nessa aventura espacial escrita por Jim Starlin e desenhada por Mike Mignola, o Novo Deus Metron está prestes a conseguir pegar equação anti-vida, um elemento tão poderoso que pode eliminar o livre arbítrio de todos os seres do universo. Porém, algo dá muito errado no final dessa busca, e um poder de proporções devastadoras é liberado, fazendo a Liga da Justiça se aliar ao planeta Nova Gênese e também ao temível Darkseid, começando assim mais uma grande epopeia espacial no Universo DC.


6°. Crise Final
Atenção, Crise Final é algo que eu indico apenas para quem tem um pouco mais de contato com o Universo DC, pois ela é muito, mas muito difícil de ser entendida da primeira vez!
O épico escrito por Grant Morrison definitivamente é a história mais complicada do Universo DC, e até eu que sou um ultra-mega-hiper-super-nerd fã boy da DC tive que ler três vezes pra entender do que ela se trata. Porém, ser complicado não é sinônimo de falta de qualidade, e se tem uma coisa que Crise Final tem de sobra, é isso. A história se desenrola a partir do momento em que o planeta dos deuses malignos (Apokolips) vence a guerra contra o planeta dos deuses bons (Nova Gênese), desencadeando eventos inimagináveis com consequências por todo o Multiverso. Pouca gente sabe, mas Crise Final serve como continuação do arco Hunger Dogs, publicado em 1985 por Jack Kirby, então, se for ler Crise Final (leia com bastante atenção), leia antes Hunger Dogs pra ficar menos complicado de entender. Crise Final é uma inesquecível saga sobre horror, otimismo, esperança e dor em uma escala de grandiosidade impressionante.




BATMAN


Guerra ao Crime
A mitologia do Batman é Gotham City. A cidade de ruas escuras, becos infestados de criminosos e malfeitores, corrupção em todas as instâncias do poder, e claro, os personagens que compõe a famosa galeria de vilões do Batman. Guerra ao Crime é simplesmente um retrato crível dessa cidade miserável, onde a maior esperança e proteção que os cidadãos tem é um homem vestido de morcego. A história é preenchida pela arte ultrarrealista de Alex Ross, dando uma aula de expressões em cada página. Guerra ao Crime não tem nada de viagens pelo Multiverso, vilões de outro mundo e outras coisas do gênero, ela é apenas o cotidiano de Bruce Wayne vivendo a sua vida dupla.
Guerra ao Crime pode ser encontrada no compilado Os Maiores Super-Heróis do Mundo, que está disponível para venda na Amazon.




SUPERMAN


O Retorno do Superman
Esse quadrinho em especial, tem muito a ver com o filme da Liga, aparentemente. A falta do Superman é sentida o tempo todo e o mundo sofre sem o seu símbolo de esperança, fazendo até mesmo outros seres quererem o lugar dele. Assim como vimos nos trailers da Liga, todos sentem a ausência do Homem de Aço, e o mundo está cada vez mais desesperançoso, o que mudará quando o Superman retornar.




MULHER-MARAVILHA


Mulher-Maravilha por George Pérez
Após o mega reboot da DC Comics nos anos 80, o grande quadrinista George Pérez foi contratado pela editora para dar uma nova roupagem e história para a Princesa Amazona. O autor teve uma fase de arcos extremamente aclamada enquanto esteve à frente do título. As páginas cheias de personagens ótimos e bem desenvolvidos era acompanhada de uma arte detalhista e cuidadosa ao mostrar os cenários onde a narrativa se desenrolava. Fazendo um misto de mitologia grega com outros elementos tradicionais da trajetória da Mulher-Maravilha, como o primeiro contato dela com o mundo dos homens e as amizades que ela faz nesse ambiente, os arcos com maior destaque são: Deuses e Mortais, Desafio dos Deuses e A Bela e as Feras.
Recentemente, essa fase de arcos foi relançada no Brasil em 4 volumes.




AQUAMAN


Aquaman por Geoff Johns
Geoff Johns é o menino de ouro da DC Comics em praticamente todas as mídias, mas principalmente nos quadrinhos. O escritor teve uma passagem memorável e poderosa com o Aquaman, assim como teve com o Lanterna Verde, consagrando-se como um dos melhores escritores que já trabalharam com o Gladiador Esmeralda. Johns pegou o personagem e deu um upgrade necessário, revitalizando todos os elementos da mitologia do Aquaman. A fase se divide em quatro encadernados no Brasil, que são: As Profundezas, Trono de Atlântida, Os Outros e A Morte de um Rei.
Esse arco é um potencial para uma possível trilogia do Aquaman nos cinemas, e é considerado pelos fãs como a melhor fase do Aquaman, ao lado da versão do herói feita pelo artista Peter David nos anos 90.




FLASH


Flashpoint
O evento que reiniciou (de novo) o Universo DC em 2011 começou com o Barry Allen vivendo numa linha do tempo onde sua mãe nunca morreu e ele não sofreu o acidente que o transformou no Flash, mas isso teve sérias consequências que mudaram o status quo de tudo.
Detalhe: Essa será a história que irão adaptar no filme solo do Flash, estrelado pelo Ezra Miller.




CIBORGUE


Liga da Justiça: Origem (Novos 52)
O primeiro arco da Liga da Justiça dos Novos 52 trouxe uma adição meio inesperada. O Ciborgue foi introduzido na equipe no momento da invasão do Darkseid, e sua origem está diretamente ligada às caixas maternas, que são como computadores vivos dos Novos Deuses. É esperado que o filme use essa história como uma das bases, e a presença do Ciborgue e sua conexão com a tecnologia dos Novos Deuses reforça essa hipótese.

Comentários